quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Anuário Estatístico de acidentes de trabalho do ano de 2012



Divulgados números de acidentes de trabalho em 2012 no Anuário Estatístico da Previdência Social

O Ministério da Previdência Social divulgou o Anuário Estatístico de 2012, com os números sobre acidentes de trabalho no ano passado. Segundo o documento, os índices caíram em relação a 2011. Porém, para o Sinait, a realidade com que se deparam os Auditores-Fiscais nos ambientes de trabalho mostra que os trabalhadores continuam correndo muitos riscos e que o número real pode ser muito maior.

Dados de 2012 foram um pouco melhor que 2011

Em 2012, segundo o Anuário, foram registrados 705.239 acidentes contra 720.629 em 2011. 
Houve uma pequena redução, mas o total continua acima dos 700 mil por ano, o que é ainda alarmante. 
O número de trabalhadores mortos em 2012 foi de 2.731, enquanto em 2011 foram 2.938. 
Ficaram permanentemente incapacitados para o trabalho 14.755 trabalhadores. 
Foram 541.286 acidentes com Comunicados de Acidente de Trabalho – CAT emitidos e 163.953 sem emissão de CAT. 

Os piores setores, onde ocorre mais acidentes ou onde não é aplicado a prevenção de Acidentes e o não cumprimento das NRs:
1º Lugar em Acidentes:
O setor com maior número de acidentes é o de Comércio e Reparação de Veículos Automotores, com 95.659 registros;
 
 2º Lugar
 Seguido, este ano, pelo setor de Saúde e Serviços Sociais, com 66.302 acidentes. 


3º Lugar
O setor com o terceiro maior índice de registros de acidentes é o da construção civil, que apresentou um aumento, passando de 60.415 em 2011, para 62.874 em 2012.


Mas os dados não conseguem mostrar a realidade por completo
 Estes dados podem não ser um espelho da realidade, pois muitos acidentes não são considerados para fins de estatísticas porque estão registrados de forma genérica, por exemplo, como acidentes de trânsito.

 Falta Fiscalização no cunmprimentos das NR
As estatísticas continuam demonstrando a necessidade de ampliação do número de Auditores-Fiscais do Trabalho, para atuar na prevenção de acidentes, exigindo o cumprimento das Normas Regulamentadoras que tratam de Segurança e Saúde no Trabalho.

Investimentos em SST
A especialização na área de SST é outra necessidade já manifestada pela categoria, ao lado de outras especialidades que não comprometem em nada a carreira única.


Fonte: SINAIT - 21/10/2013



Curso Introdução a Engenharia de Segurança do Trabalho

Carga horária: 38 horas
Por: R$ 24,90
(Pagamento único)
Certificado digital Com certificado digital incluído

Nenhum comentário: