segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Trabalhos improvisados na construção civil causam acidentes todos os dias!

Os trabalhos improvisados na construção civil causam acidentes todos os dias causando mutilações e mortes a pessoas que geralmente sabem qe estão infringido as regras de segurança mas preferem agir de forma insegura.

Os acidentes no Brasil:

Entender os acidentes de trabalho mais comuns é fundamental para poder preveni-los. Afinal, não tem defesa melhor que a informação.

A cada ano, cerca de 700 mil acidentes de trabalho são registrados no Brasil, sem contar os casos que acabam sem notificação oficial.

Acidentes de trabalho mais comuns no Brasil

Lideram o ranking de acidentes de trabalho mais comuns – segundo o Ministério da Previdência Social – quedas, choques contra objetos, golpes provocados por ferramentas, cortes e fraturas. São distúrbios físicos que afetam diversos trabalhadores, famílias e empresas, seja por negligência, más condições ou dificuldade em cumprir ou exigir protocolos importantes, como por exemplo o uso do EPI correto.



Vídeo como esses, de pessoas que agem com equipamentos e ações inseguras, apenas representam a realidade do nosso dia a dia!

Veja o básico para trabalhos com cadeiras suspensas que esses trabalhadores devem saber e aplicar:

CADEIRA SUSPENSA

Exigências do MTE:
1. A cadeira suspensa deve atender aos requisitos da norma NBR 14751 da ABNT.
 
2. A cadeira suspensa deve apresentar em sua estrutura, e em caracteres indeléveis e bem visíveis, a razão social do fabricante e o respectivo número de registro do CNPJ.
 
3. É proibida a improvisação de cadeira suspensa.
 
4. O trabalhador deve utilizar cinto de segurança tipo paraquedista, ligado ao travaqueda em cabo de segurança independente.
 
5. O travaqueda guiado deve atender às recomendações do fabricante, em particular com a compatibilidade com a linha vertical e o comprimento máximo do seu extensor. 
 6. O sistema de sustentação da cadeira suspensa deve:
 
a)      ser precedido de projeto elaborado por profissional legalmente habilitado;
b)      ser independente do cabo de segurança do travaqueda.
 
7. Os cabos de aço, cordas e acessórios devem ser submetidos a inspeção inicial, diária e periódica por trabalhador qualificado, de acordo com requisitos estabelecidos em normas técnicas.
 
8. A cadeira suspensa deve ser revisada, a cada 12 meses, pelo fabricante ou seu representante credenciado.
 
9. As cordas utilizadas para sustentação de cadeiras suspensas ou travaqueda, devem ser constituídas por capa e alma, ter resistência estática mínima de 22 kN, diâmetro indicado pelo fabricante do equipamento e marcação de acordo com a norma técnica vigente.

Para saber mais acesse:

5 estrelas
Curso Online de  NR 35 - Trabalho em Altura

Curso Online de NR 35 - 

Trabalho em Altura

Carga horária: 30 horas
Por: R$ 23,00
(Pagamento único)
Certificado digitalCom certificado digital incluído




Nenhum comentário: